Arquivo da tag: 360º

Jogando por Música – 20/12/2010

Padrão

Produtora confirma a vinda de Ziggy Marley ao Brasil

ziggyWallpaper5_1280x960

A NASD Entretenimento confirmou a vinda do músico jamaicano Ziggy Marley ao Brasil em março de 2011 para uma série de shows. O Rio de Janeiro é a primeira cidade confirmada nessa nova passagem pelo país. Outras cidades, datas e locais serão divulgadas em breve.

Ziggy é o filho mais velho de Bob Marley e construiu uma carreira musical de sucesso ao lado do grupo Melody Makers. A partir de 2003 também se lançou em carreira solo.

O músico, que faz do reggae o veículo para passar mensagens de amor e espiritualidade, anunciou recentemente o lançamento de uma história em quadrinhos sob o título de "Marijuanaman" – uma espécie de herói da maconha, substância cuja legalização o cantor defende. A obra foi feita em parceria com o escritor Joe Casey e traz ilustrações de Jim Mahfood. O lançamento está agendado para abril do próximo ano.

 

Venda de ingressos para o 3º show do U2 começa nesta segunda-feira

u2_bono

Os ingressos para o terceiro show do U2 no Brasil começam a ser vendidos a partir da 0h desta segunda-feira (20), apenas pela internet, no site www.ticketsforfun.com.br. A bilheteria oficial (Credicard Hall, na Av. das Nações Unidas, 17.981, Santo Amaro, São Paulo), os pontos de venda e o call center (4003-0806, para todo o Brasil) irão funcionar a partir das 10h.

Assim como a apresentações do dia 9 e 10 de abril, a abertura será realizada pelos ingleses do Muse. Os valores dos ingressos também são os mesmos: de R$ 70 a R$ 1 mil.

A vendas das entradas para as apresentações anteriores foram marcadas por filas e confusões. Para o segundo show, no dia 10, a cota disponível para a internet esgotou em apenas duas horas. Não havia mais nenhuma entrada às 11h40, menos de 12 horas do começo da venda geral.

U2 em São Paulo – terceiro show
Quando: 13 de abril, às 20h (show de abertura da banda Muse)
Onde: Estádio do Morumbi – Praça Roberto Gomes Pedrosa, nº 1
Ingressos: R$ 70 (cadeira superior amarela); R$180 (pista); R$ 220 (arquibancada amarela); R$ 240 (arquibancadas azul, vermelha, vermelha especial e laranja); R$ 340 (cadeira inferior A e B); R$ 380 (cadeira superior azul 1, cadeira superior azul premium, cadeira superior vermelha e cadeira superior laranja).

 

Duran Duran lança álbum de olho em novos fãs

duran-duran-astronaut

Por Bernard Orr

A banda Duran Duran despontou para a fama na década de 1980, com vídeos estilizados que marcaram a primeira geração de espectadores da MTV, e com hits como "Hungry Like a Wolf" e "The Reflex", que continuaram garantindo shows lotados nos últimos anos.

Mas em seu novo álbum "All You Need Is Now", que será lançado no dia 21, a banda precursora do New Wave está atualizando seu som para uma nova geração – sem no entanto perder de vista a sua história.

A banda – Roger Taylor, John Taylor, Simon Le Bon e Nick Rhodes – convocou o superprodutor Mark Ronson para o seu 13o álbum de estúdio, com 12 faixas inéditas.

"Queríamos ser um pouco mais experimentais nesse disco. Queríamos nos reconectar com os fãs (…), daí esse tipo de música pop moderna, ‘dance’, com sintetizadores, experimental", disse Le Bon à Reuters.

Depois de passar pela era dos LPs, cassetes e CDs, o Duran Duran agora é digital. O primeiro single do novo álbum, também chamado "All You Need Is Now" está disponível gratuitamente no iTunes, e o álbum será vendido na loja digital da Apple antes de chegar às lojas no formado CD, em fevereiro.

"O jeito como as pessoas consomem música é obviamente radicalmente diferente de como era até mesmo dez anos atrás", disse Rhodes, que lançou o Duran Duran junto com John Taylor em 1978.

A banda planeja uma turnê para o ano que vem, que deve levá-la pela primeira vez a países como China e Índia.

Link para a música: http://itunes.apple.com/us/album/all-you-need-is-now-single/id407657091

FONTES: Reuters, Globo, TDM e iTunes.

Jogando por Música – 16/12/2010

Padrão

Lobão lança biografia e disponibiliza duas músicas inéditas

alt

Já está disponível nas livrarias a autobiografia do cantor e compositor João Luíz Woerdenbag Filho, o Lobão. O livro tem o título de “50 Anos a Mil” e foi escrito em parceria com o jornalista Claudio Tognolli.
A autobiografia expõe em 752 páginas histórias cômicas, como a primeira masturbação, e outras muitas vezes dramáticas, como a briga com o pai, quando foi expulso de casa aos 19 anos, o período preso por porte e consumo de drogas, ou ainda o suicídio da mãe, após uma discussão, conforme trecho do livro:
“Escuta aqui, que merda é essa de ficar plantando bilhete debaixo da porta do meu apê? Tá pensando que é mole aturar uma mãe que só fala em se matar o tempo todo? Agora, quem quer que você morra sou eu, viu? Seja uma profissional do suicídio, seja dessa vez mais eficaz e para de brincar com a minha vida que eu não aguento mais!!".
O livro tem capítulos essencialmente de memórias e outros com teor mais jornalístico, com pesquisas e entrevistas de outros personagens comandadas por Tognolli. No site da Ediouro é possível baixar um trecho do livro e também duas músicas inéditas que Lobão está lançando, “Song for Sampa”, em homenagem a São Paulo, e “Das Tripas, Coração”, dedicada para Júlio Barroso, Cazuza e Ezequiel Neves.
Para baixar um trecho do livro e as músicas acesse
www.ediouro.com.br/50anosamil

 

Aretha Franklin recebe alta do hospital

aretha_franklin

A cantora americana Aretha Franklin recebeu alta do hospital de Detroit em que estava internada desde que passou por uma cirurgia para tratar de um problema não revelado, no dia 2 de dezembro.
Em um comunicado divulgado nesta quarta-feira (15), porta-vozes disseram que Aretha está em casa há três dias, e que sua família e amigos estão cuidando dela da melhor maneira.
A nota ainda afirma que Aretha tem uma enfermeira particular que verifica seu estado de saúde diariamente. Ela disse querer assistir ao espetáculo de teatro sobre Sam Cooke em Detroit, sua cidade natal, e também a produção de “Dreamgirls”.
Segundo comunicado divulgado anteriormente, a cirurgia pela qual a cantora passou foi “extremamente bem-sucedida”. No início de novembro, ela cancelou todos seus shows e aparições até 2011 por ordem de seu médico.

Rainha do soul
Aos 68 anos, Franklin é conhecida como “rainha do soul’ e se mantém como uma das principais representantes do gênero.
Entre seus sucessos estão interpretações de músicas como “Respect” (1967) e “I say a little prayer” (1968), também conhecida na voz de Dionne Warwick.
Ao longo de sua carreira, ela acumulou 18 Grammys competitivos, sendo uma das artistas mais premiadas pela academia.

Carlinhos Brown apresenta seus adobrós

carlinhos_003-1-1-640x398_thumb

Cantor e compositor lança dois discos simultâneos, “Diminuto” e “Adrobó”

Pedro Alexandre Sanches, repórter especial iG Cultura

Há dez anos, em janeiro de 2001, Carlinhos Brown “explicitou o Brasil” (segundo suas próprias palavras) no festival Rock in Rio 3, ao entrar em confronto aberto com o público metaleiro que fora até Jacarepaguá para ver o Guns ‘n Roses, e não um cantor e percussionista afrobaiano. “Aquilo tinha que acontecer”, avalia o artista em 2010, de passagem por São Paulo, poucas horas antes de partir a trabalho para o Senegal, na África. “Eu estava ali todo puro, de cocar. De repente, os caras se debateram com eles mesmos, e disseram: “Olha, eu não me quero. Eu quero ser aquele com guitarra, o roqueiro.”

Em maio deste ano, Brown foi o artista principal da festa paulistana em comemoração ao dia do trabalho, no Memorial da América Latina, de que participou também Milton Nascimento. Apresentou-se com desenvoltura, conduzindo e empolgando plenamente uma plateia de não-metaleiros. Senhor dos trios de carnaval na Bahia, Brown, hoje com 48 anos e de barba grisalha cultivada, tem tido poucas oportunidades para se apresentar a céu aberto no eixo Rio-São Paulo. O exterior continua a fornecer-lhe seus principais palcos.

Em algum ponto ainda não testado entre essas duas experiências extremas deve morar o Carlinhos Brown atual, que acalenta o sonho de ser agraciado com uma “segunda chance” no próximo Rock in Rio, mas conserva certos conflitos com os modos de organização de nosso show business. “Todos são benvindos aqui. Sou fã da moça da casa de vinho, Amy Winehouse. Sou amigo e componho com will.i.am e os Black Eyed Peas. Paul McCartney é um gênio dos Beatles. Mas um país que é a oitava economia do mundo não pode ser apenas para grupos externos.”

Brown lançou há pouco dois discos de uma vez só. Diz que um deles (o tristonho “Diminuto”) é de canções, e o outro (o vibrante “Adobró”), de ritmos. Tem um terceiro pronto, de rock, com o grupo baiano Mar Revolto, que ele integrou no início da carreira e gostaria de levar ao Rock in Rio. Estima ter composto e lançado neste ano algo como 10% de sua produção total de mais de 500 músicas em 30 anos de carreira profissional.

Apesar da bagagem volumosa, sabe que ainda não foi completamente assimilado em seu próprio país, em especial no eixo Sul-Sudeste. Da postura de palco aos versos sonoros, feitos de colagens de palavras, sua figura costuma ser alvo preferencial de críticas e muxoxos dirigidos a essa tal de emepebê. “Às vezes penso: por que esse personagem é tão incomodativo? O que incomoda tanto?”, pergunta, a certa altura das duas horas de entrevista ao iG, como quem indagasse a si próprio sobre outra pessoa.

brown 2iG: O que quer dizer a palavra “adobró”?
Carlinhos Brown: Adobró é uma corruptela de adobe.

iG: Uma linguagem de computador?
Carlinhos Brown: Não (risos). Hoje é uma linguagem de computador, mas os adobes são toda a força construtiva da arquitetura colonial brasileira. É uma palavra árabe, utilizada para tijolos. E adobró é resto de material de construção, que você pode usar para fazer outras coisas.

iG: Então você não inventou essa palavra.
Carlinhos Brown: Não, ouvi com meu pai e os pedreiros, o pessoal de quando trabalhei como auxiliar de pintor e pedreiro. “Vambora com os adobró!” Me veio na cabeça, puxa, tão bonito, adobró. Mas qualquer som balbuciado faz sentido. A palavra limpa, vamos dizer, é codificada. O som é algo ainda a se decodificar. É o que me leva a botar um milhão e meio de pessoas no carnaval em Madri cantando “tetetê, tetetê, tetê”. É a comunicação primal. A gente não se reconhece primitivo no nosso tempo, mas daqui a cem anos vamos ser vistos como primitivos. Hoje a gente conhece esse Adobe de computador, mas é tijolo, casa de adobe, você nunca ouviu falar? Eu me esmero pelo som, porque o português bem falado Chico Buarque já fez, Dorival Caymmi já fez, todo mundo. Como vou escrever “Mãos Denhas”?

iG: O que são “denhas”?
Carlinhos Brown: O que são “denhas”? Estou me perguntando o que são “denhas”.

iG: Há palavras que você inventa mesmo.
Carlinhos Brown: Sim, eu chamaria de neologismos. Nós temos um poeta no Brasil que nos ensinou a fazer isso, Guimarães Rosa. Quando falo “denhas” estou dizendo (cita versos de “Língua”, de Caetano Veloso) “a Rosa no Rosa”, “Pessoa na pessoa”, “e quem há de negar que esta lhe é superior?”. Eu não escolhi Mick Jagger, escolhi Caetano. Não escolhi Hendrix, escolhi Luiz Carlini, Pepeu Gomes. Não escolhi Metallica, Titãs me comovem mais. A palavra é uma escolha, mas no meu caso também é uma rebeldia. Ela me faltou tanto que eu a domino. Eu te digo sem nenhuma humildade: domino a palavra. A falta de acesso a ela me fez perder o sentido, então eu saio escrevendo como eu quero, como vem à cabeça.

iG: Muitas palavras de Adobró são em iorubá.
Carlinhos Brown: É, eu adoro. O iorubá foi estetizado no Brasil como dialeto, e mataram a nossa língua. É como dizer que falar italiano é dialeto. Foi aí que o Brasil começou a se perder. Mas há como revisar isso. O governo Lula foi supereficaz, colocou nas escolas a África como matéria, pra tirar das novas gerações essa imagem de escravizados. A extrema pobreza em que nós fomos jogados nos faria interessantes só no carnaval, como batuqueiros, e jamais como um potencial de língua. Com Wilson Simonal, Evaldo Braga, Itamar Assumpção ou Cassiano o português toma mais graça e ritmo, porque eles não têm uma saudade absurda de Camões. A gente sempre respeitou as bases, mas o ritmo, não, o ritmo é com a gente. A gente escreve axé music, o pessoal fala que é “ai ai ai, ui ui ui, ai ai ai, ui ui ui”. Estávamos buscando isso, esse sentimento que o português não completa, não chega.

iG: Como se dá seu contato com palavras iorubá?
Carlinhos Brown: Eu me lembro, ou então são de músicas que eu sei, através dos terreiros. Sei muitas músicas em iorubá. Tenho uma música que veio do passado dos terreiros e aprendi com meus mestres, sobre Ashansu, um tipo de Obaluaiê, Omolu, o senhor da Terra. É um hit de carnaval (batuca e cantarola), “Obaluaiê, babalorixá ê”, todo mundo canta isso, é um hino.

iG: Então não é primal, é uma língua na qual pessoas se comunicam.
Carlinhos Brown: É, no caso do iorubá é uma língua comunicativa. Mas quando faço (cantarola) “djebidi babá dudu” tem isso, sabe? Não chega a ser uga-uga porque tem organização. Meu maior refrão no mundo, por exemplo, é “djedje” (cantarola “Magalenha”, lançada em 1992 por Sergio Mendes), “djedje dejedje djedje”. É minha música que mais toca no mundo. Não é “A Namorada”, nem “Água Mineral”. Sergio Mendes acaba de regravar, e foi pro Grammy de novo. Ganhou Grammy Latino, agora foi pro “Gremmão”.

iG: Quando você canta “djedje”, isso na sua cabeça forma alguma imagem, significa alguma coisa? Gege não é uma tribo indígena?
Carlinhos Brown: É uma nação africana. Mas não estou falando Gege, também posso fazer “diê diê”, Dieu, Deus. Também posso estar cantando Deus, em francês. Não sei. Eu arrisquei, e, nesse risco, o americano canta, o japonês canta, o latino canta, o português canta. Mas eu busco essa linguagem pra caber na música.

iG: Um pouco como Jorge Ben.
Carlinhos Brown: É, como Ben Jor e outros fazem. Mas eu tenho café no bule (apanha nos encartes versos de “Você Merece Samba”): “Você não merece sofrer, merece samba/ os olhos são portas saídas de um coração”. Taí, café no bule.

iG: Por que chama de café no bule?
Carlinhos Brown: É pra incomodar a poesia. Os poetas às vezes acham que não tem café no bule. Fiquem com a poesia que eu fico com a imagem dela. Não quero poesia, quero imagens pra sonhar. Quando ele (refere-se a si na terceira pessoa) fala aqui que “os olhos são portas saídas de um coração”, ele puxa pra dentro, ele puxa pra tantos sentimentos. É a saída que não é lágrima, os olhos como portas, não como janelas da alma, sabe? É subverter. Se os olhos são portas do coração, então você pode chorar. Quase 30 anos depois do axé music eu quero a paquera carnavalesca, mas também quero entrar no coração. É importante, um artista de 60 anos vai precisar de direitos autorais. Não tem aposentadoria pra artista no Brasil, é ladeira abaixo, e você tem que escolher até que lugar da ladeira você quer descer. Vou me aposentar pela Sacem, um órgão arrecadador de direito autoral da França. Lá aposenta com 5 mil euros. Já tenho até um número de obras exagerado na Sacem, mais de 500 obras registradas.

iG: Você tem 500 músicas lançadas?
Carlinhos Brown: Acho que tenho até mais, como autor. Fora o que gravo na Bahia, que às vezes nem é editado, e não estou contando os jingles.

iG: Você faz jingles também?
Carlinhos Brown: Oxe! Só pedir. Adoro (risos)!

iG: Por que lançar dois discos de uma vez?
Carlinhos Brown: É quase um “Você Merece Samba”. Se o mercado está em crise, a indústria não está. Nós não estamos mesmo em crise.

iG: Quando diz indústria, está falando dos operários da música?
Carlinhos Brown: É, somos nós, os fazedores. A indústria não está, o mercado está em crise, porque a música brasileira mercadológica está mais egoísta. Os rádios não querem mais tocar a gente. Começaram a dizer que é rádio adulta, eu nunca vi música adulta. Monsueto, Cartola ou Adoniran não têm idade. Talvez a música mais infantil seja o rock, porque é fácil, as crianças gostam dos riffs. Mas é feita por adultos. E nunca foi tão feita por adultos, ou por barbas brancas, vamos dizer. O desejo de fazer esses dois discos era para mostrar que as empresas válidas são válidas, têm validade dentro de um conteúdo cultural sério. A Natura (patrocinadora de seus discos) está fazendo um papel que a Rede Globo devia fazer. A Som Livre (gravadora da Globo) poderia ser mais bem usada para a música popular brasileira. Vou a tantos programas da Rede Globo, os caras não botam uma música minha numa novela. Eles sabem que vai me ajudar, e eu sei que eu preciso, e eles sabem que eu preciso. Não sei por que não botam, sei lá que diacho.

iG: A primeira vez que ouvi falar seu nome foi em uma novela, a música “Meia-Lua Inteira”, com Caetano Veloso.
Carlinhos Brown: Sim, com os outros cantando eu já fui. Mas quero eu, quero a minha voz lá. Eu não sou o artista mais corajoso ou o mais medroso ou o mais falastrão, sou um artista que vou defender a arte de unhas e dentes, e não tenho esse medo de expor a dificuldade e a crise que estamos passando como artistas. Quando a Europa teve o problema eu me ferrei, este foi meu ano mais difícil economicamente. A Europa me dá cem shows por ano, coisa que não tenho aqui. No Brasil ainda tem aquela coisa, “vá que vai ser bom pra você”. Falar isso soa como um final de década, e, pelo amor de Deus, negro falando, músico conceitual falando, parece que está magoado. Não, não é mágoa. Um país de oitava economia não pode ser uma economia apenas para grupos externos. O Brasil este ano teve 185 bandas externas, que estão competindo com o mercado dos brasileiros. Pra nossa música está sendo evasão de divisas.

Link da matéria

 

Seguindo tendência, U2 marca terceiro show em São Paulo

u2 wall

Em uma reprise do que aconteceu na semana passada, os ingressos para o segundo show do U2 em São Paulo, no dia 10 de abril, já acabaram. As vendas começaram à meia-noite, pela internet, e uma hora e meia depois, já haviam esgotado. Os postos autorizados e televendas receberam um novo lote às 10h, que congestionaram as linhas da Time For Fun.

Poucas horas após acabarem os ingressos para o segundo show, foi anunciada uma terceira apresentação da banda no país. Assim como as duas primeiras, ela será no Estádio do Morumbi, em São Paulo. A data escolhida é 13 de abril.

Clientes dos cartões Citibank, incluindo os cartões Credicard e Diners poderão adquirir os ingressos nos dias 18 e 19 de dezembro. Para o público em geral, a venda terá início na segunda-feira, dia 20 de dezembro de 2010. Os ingressos podem ser adquiridos pelo telefone 4003-0806 (válido para todo o País), pelo site www.ticketsforfun.com.br, na bilheteria oficial (Credicard Hall) e nos diversos pontos de venda espalhados pelo Brasil. Os preços são os mesmos dos dois primeiros shows.

Em todas as etapas de venda até o momento, tanto para o primeiro quanto para o segundo show, houve problemas com telefones ocupados, sites congestionados e filas nas bilheterias. No Credicard Hall, em São Paulo, ponto de venda oficial do show, sem cobrança de taxa de conveniência, o clima na manhã desta quarta-feira era de indignação. A médica Roberta Morais, 28 anos, havia chegado na terça-feira às 6h da manhã e dormiu na fila com outras 110 pessoas. Segundo ela, os primeiros lugares estavam ocupados por cambistas, que assediavam os fãs a venderem os ingressos que tivessem sobrando. Os seguranças e a polícia não teriam tomado qualquer atitude. "Nunca vi tamanha falta de respeito. A organização dos shows do Paul McCartney foi muito melhor", comparou.

As apresentações fazem parte da turnê "360°". A série de shows tem esse nome porque, no palco, há um sistema cilíndrico de vídeo interligando painéis em LED e uma estrutura de aço de cerca de 50 metros de altura. O palco possui pontes rotativas possibilitando visualização de praticamente todas as partes do estádio.

 

FONTES: iG, Globo.com, TDM e Facebook.

Jogando por Música – 07/12/2010

Padrão

Sandy se fantasia de Amy Winehouse em gravação de clipe

sandy

A cantora Sandy interpretou mais de 20 personagens para a gravação do clipe da música "Quem Eu Sou".

Entre as personalidades assumidas pela irmã de Júnior Lima estão a de uma boneca de luxo e a da inglesa Amy Winehouse.

Na canção de seu novo CD, "Manuscrito", ela fala que está "libertando quem realmente eu sou".

Vaza na internet novo disco de Michael Jackson

capa-do-disco-postumo-michael-de-michael-jackson-1288905634298_300x300

O disco póstumo de Michael Jackson, "Michael", vazou na internet uma semana antes de seu lançamento no mercado em 14 de dezembro, informou nesta segunda-feira o site "TMZ".

As 10 canções que integram o disco circulam ilegalmente de forma gratuita em diferentes plataformas de downloads, algo que já ocorreu anteriormente com outros artistas como Eminem, Kings of Leon e U2.

Atualmente a Sony Music, gravadora que distribui o novo trabalho do "rei do pop", havia lançado alguns temas na internet como "Hold My Hands" e "Breaking News", e habilitou no site "Sonymusicdigital.com" um espaço para a compra antecipada do álbum e artigos promocionais.

"Michael" tem um preço de venda de US$ 12,99 por CD e um dólar a menos no caso da compra por download em formato mp3.

A lista das canções que compõem o disco são: "Hollywood Tonight", "Keep Your Head Up", "(I Like) The Way You Love Me", "Best Of Joy", "Behind The Mask", "Much Too Soon", "Breaking News", "Hold My Hand", "Monster" e "(I Can’t Make It) Another Day".

"Michael" será o primeiro trabalho inédito publicado do cantor em nove anos, um ano depois da morte do artista.

Michael Jackson faleceu em 25 de junho de 2009 vítima de uma intoxicação aguda por remédios.

 

Zélia Duncan, Moska, Isabella Taviani e Ivan Lins cantam Noel Rosa

AF-NOEL ROSA encarte DB-069 paginado.indd

No próximo sábado, dia 11 de dezembro, será celebrado os 100 anos de nascimento de um dos maiores nomes da música brasileira, Noel Rosa. Para comemorar o centenário o selo Discobertas lança um disco em homenagem ao sambista chamado “Universidade da Vila”.

O álbum reúne as cantoras Isabella Taviani, Joyce Moreno e Zélia Duncan, e os cantores Ivan Lins, Jorge Vercillo e Paulinho Moska. Os seis artistas participam do álbum interpretando, cada um, duas obras de Noel Rosa.
“Universidade da Vila” foi produzido por Clemente Magalhães e gravado entre agosto e setembro desse ano.

O encarte do CD traz as letras das músicas e ficha técnica completa, além de um texto assinado pelo professor Luiz Ricardo Leitão, da UFRJ. Leitão é autor do livro sobre Noel Rosa “Poeta da Vila, Cronista do Brasil”, lançado em 2009.
No início de março de 2011 serão realizados no Teatro Odilo Costa Filho, na UFRJ, dois shows para celebrar o lançamento do disco.

 

Em apenas 1h, site de ingressos para show do U2 sai do ar

u2_bono

A venda de ingressos para o público em geral para o show da banda U2, a ser realizado no Brasil, no dia 9 de abril, no Estádio do Morumbi, em São Paulo, deixou muitos de seus fãs frustrados e revoltados. Isso porque apenas uma hora depois do início das vendas, à 0h desta terça-feira (7), o site "Tickets For Fun", responsável pelas vendas, saiu do ar. Antes de ficar indisponível, no entanto, alguns setores já tinham o seu lote de ingressos esgotado.

Em seu site, a Tickets For Fun já previa a possibilidade de lentidão e congestionamento, mas anunciou que havia desenvolvido um sistema para assegurar que os fãs conseguissem realizar a compra. Para isso, informou que a capacidade de vendas simultâneas seria de 4500 usuários. Além disso, o site criou uma sala de espera para mais de 90 mil internautas, e a cada 30 segundos tenta realizar o acesso. Dessa forma, ainda segundo a Tickets For Fun, o sistema suportaria mais que a própria capacidade do show da banda irlandesa.

A procura por ingressos, no entanto, foi muito alta, e a página saiu do ar. O consultor de condomínios Roberto Borges, 31 anos, morador de Taubaté, disse que entrou no site logo à 0h, mas não conseguiu realizar a compra, ficando sempre na sala de espera. Depois de um tempo, era "derrubado", e tinha que começar o processo novamente.

Já Fernanda Sena, 32, de Salvador, tentou muito e desistiu. "Está impossível. Vou dormir e esperar abrirem as vendas para um novo show", afirmou, apesar de a banda ter confirmado apenas um show da turnê "U2 360° Tour" no País.

A discussão logo foi parar nos Trending Topics do Twitter. Alguns fãs se mostravam revoltados com o rápido esgotamento dos tíquetes. Outros externaram a revolta com a dificuldade em garantir o ingresso para a apresentação do grupo e o fato de o site ter ficado fora do ar.

FONTES: TMZ, Estadão, Folha de São Paulo, TDM, UOL e Cravo Albin.

Resumo da semana – JpM

Padrão

Salve!

A partir desta semana, faremos um resumo aqui em nosso ‘bloguinho’, com tudo que aconteceu de mais relevante no JpM (Jogando por Música) durante a semana. Lançamos mais dois ‘novos’ artistas – Rejane Luna e Gato Zarolho – além de apresentar mais uma música do grupo mineiro Capim Seco. Ouvimos algumas músicas que há muito não iam ao ar, como a bela canção Dreamer de Ozzy Osbourne. Além da música ‘Babyfather’ do disco Soldier of Love da Sade, música indicada ao Grammy na categoria Melhor performance Pop de dupla ou grupo. Então, vamos lá, rever o que rolou em nosso talk show.

Vamos nessa?

Segunda, dia 29 de Novembro

iron-maiden-1_thumb

Começaram no último sábado (27/11) as vendas de ingressos para os shows da "The Final Frontier World Tour", que aterrisa no Brasil em março de 2011.

O Iron Maiden se apresenta com a nova turnê em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Recife e Curitiba. Os ingressos para as capitais paulista e paraense começam a ser vendidos amanhã. Os fãs do Rio de Janeiro poderão comprar ingressos a apartir do dia 02 de dezembro. No Recife as vendas começam dia 04 de dezembro. Dois dias depois, os ingressos estarão disponíveis tambpem em Brasilia. As vendas em Curitiba ainda não foram anunciadas.

26/03/2011 – São Paulo/SP
Informações: 11 4003 1527 /
www.livepass.com.br

27/03/2011 – Rio de Janeiro/RJ
HSBC Arena – Av. Embaixador Abelardo Bueno, 3.401

30/03/2011 – Brasília/DF
Ginásio Nilson Nelson – Asa Norte – Eixo Monumental

01/04/2011 – Belém/PA
Informações: (11) 8628-0011 / (81) 9637-7412 / (82) 3311-8202 / (84) 9951-8673

03/04/2011 – Recife/PE
Parque de Exposições – Av. Caxangá, 2.200

05/04/2011 – Curitiba/PR
Estacionamento do Expotrade

Segunda edição do Choro Jazz Jericoacoara espalha música pela areia
Por CARLOS BOZZO JUNIOR

jericoacoara_thumb

A vila de pescadores de Jericoacoara ou Jeri, assim alcunhada por seus moradores e fiéis frequentadores, terá cinco dias de shows, workshops e "canjas", com atrações imperdíveis, de graça.

O local, que fica no ponto mais setentrional da costa cearense, a 300 km de Fortaleza é uma APA (Área de Proteção Ambiental) situada no entorno do Parque Nacional de Jericoacoara. Seu acesso, por terra, só é possível utilizando-se veículos com tração nas quatro rodas, dada às condições da indefinida e mutante estrada de 20 km, entre dunas.

Com a expectativa de receber mais de 500 pessoas para o evento, medidas foram adotadas para garantir que o local não sofra impacto ambiental ou traga risco à população e aos seus muitos visitantes –na maioria estrangeiros.

Com um time de músicos virtuoses improvisando como este, impossível será recolher todas as notas musicais executadas, que devem ficar espalhadas pelas areias e arredores de Jeri, durante milênios. Estas jamais irão se decompor.

PROGRAMAÇÃO

Sexta, 3/12

Dory Caymmi e Renato Braz (RJ/SP) – 21h
Joyce Moreno participação especial de Theo de Barros – 23h

Sábado, 4/12

Yamandú Costa (RS) – 21h
Hermeto Pascoal (AL) – 23h

Terça, dia 30 de Novembro

Motörhead é confirmado no Rock in Rio
rock-in-rio-2011_thumb

Banda tocará no Dia Metal, assim como nova-iorquinos do Coheed and Cambria

O Rock in Rio 2011 acaba de ganhar uma atração de peso, literalmente. Lendas do rock, os britânicos do Motörhead vão se apresentar no Dia Metal do festival, que acontece entre 23 de setembro e 02 de outubro. O grupo Coheed and Cambria, de Nova York, também integra a escalação, ao lado de Metallica, Sepultura e Angra – os brasileiros, no entanto, tocarão em um palco menor, o Sunset. A data é 25 de setembro, terceira noite do evento.

Cada dia do Rock in Rio privilegiará um ritmo diferente. O público já pode comprar no site oficial o Rock in Rio Card, espécie de voucher para aqueles que querem garantir seu lugar com antecedência. A troca por um ingresso será feita a partir do dia 11 de janeiro, antes da venda oficial. O primeiro lote custa R$ 190 (inteira) e R$ 95 (meia-entrada). Até o momento, 62 mil unidades foram vendidas.

Carlinhos Brown lança dois novos discos de samba e pop

carlinhos_003-1-1-640x398_thumb

Tal qual fez, em 2006, sua colega de Tribalistas Marisa Monte, o profuso Carlinhos Brown coloca na praça dois álbuns simultâneos –um deles, talhado sob preceitos da tradição do samba; outro, guiado pela excitação pop.

"Diminuto" e "Adobró" foram produzidos em apenas quatro meses. Suas 20 faixas, pinçadas de uma pré-seleção de 120 inéditas do compositor. Ele afirma que tem, no baú, mais de 500 prontas.

Transitando também pelo pagode à Originais do Samba, "Diminuto" percorre a raiz de Candeia, Monsueto, Batatinha, Caymmi. Há parceria com os Tribalistas Marisa e Arnaldo Antunes e participação de Chico Buarque (lendo o texto "Suor Caseiro", do próprio Brown).

"Adobró" é a voz sincrética do percussionista que ele sempre foi, misturando linguagem iorubá, o nosso português e o de Angola –o que o compositor define como "uma saudade das festas de infância, que eram trilingues, eram as minhas raves".

DIMINUTO e ADOBRÓ
ARTISTA Carlinhos Brown
LANÇAMENTO Candyall Music/Sony
QUANTO R$ 24,90 (cada disco)

U2 fará show em SP em 9 de abril de 2011

360milan2_thumb

Banda irlandesa retorna ao país para apresentação única; grupo Muse abre a noite

O U2 realizará uma apresentação no estádio do Morumbi, em São Paulo, no dia 9 de abril de 2011. A banda britânica Muse fará a abertura da noite.

O anúncio foi feito em conjunto pelas produtoras Live Nation (americana) e Time 4 Fun (brasileira). Segundo os produtores, a atual turnê do quarteto irlandês, a U2 360°, terá sido vista por mais de 4,5 milhões de fãs quando chegar ao Brasil.

A série de shows tem esse nome porque, no palco, há um sistema cilíndrico de vídeo interligando painéis em LED e uma estrutura de aço de cerca de 50 metros de altura. O palco possui pontes rotativas possibilitando visualização de praticamente todas as partes do estádio.

Os ingressos para o show começarão a ser vendidos por R$ 70 (cadeira superior amarela, com visão parcial do palco) – a pista custará R$180. Os setores mais caros (cadeiras superiores do estádio) custarão R$ 380.

A pré-venda para clientes dos cartões Citibank, incluindo os cartões Credicard e Diners, acontece nos dias 4 e 5 de dezembro deste ano. Para o público em geral, em 7 de dezembro. As entradas poderão ser compradas pelo telefone 4003-0806 (válido para todo o país) e pelo site www.ticketsforfun.com.br. Membros do site oficial do U2 poderão obter ingressos antes da pré-venda para clientes Citibank.

 

Quarta, 01 de Dezembro

Rock In Rio confirma Coldplay e Skank para penúltimo dia do festival

jonny-buckland-e-chris-martin-durante-show-do-coldplay-na-praca-da-apoteose-no-rio-de-janeiro-281

Jonny Buckland e Chris Martin durante show do Coldplay na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro (28/02/2010)

A banda britânica Coldplay foi confirmada como atração do Rock In Rio 2011 nesta terça-feira pela organização do evento. O grupo se apresenta no Palco Mundo no dia 1º de outubro, penúltima noite do festival.
A banda mineira Skank também tocará no mesmo dia, que vem sendo chamado de Dia do Rock Alternativo. O Rock In Rio 2011 já tem confirmadas as apresentações de Red Hot Chili Peppers, Snow Patrol e Capital Inicial para o dia 24 de setembro e Metallica, Motörhead, Coheed and Cambria, Sepultura e Angra para 25 do mesmo mês.
O festival acontecerá nos dias 23, 24, 25 e 30 de setembro e 01 e 02 de outubro de 2011, no Parque Olímpico Cidade do Rock, na Barra da Tijuca, no Rio.

Ingressos
Os ingressos para o Rock In Rio 2011, que tem sua edição de volta ao Rio de Janeiro, já estão à venda no
site oficial do evento. Chamado de Rock In Rio Card, o bilhete custa R$ 190 (há meia-entrada para este valor). Este serviço oferece uma espécie de voucher para o comprador, que poderá escolher depois de anunciada a programação completa a data de sua preferência para ir ao evento
Quem comprar o Rock In Rio Card vai receber o bilhete no endereço indicado pelo cadastro, em uma caixa personalizada.

Leiloado nos EUA manuscrito da canção mais famosa de Bob Dylan

may-09-bob_dylan-nocal-1440x900_thumb

O manuscrito de "The Times They Are A-Changin", da que é considerada por muitos a mais famosa canção de Bob Dylan, será leiloado semana que vem, ou mais precisamente no dia 10 de dezembro em Nova York, pela Casa Sotheby’s.

Escrita em 1964 pelo artista ícone da música de protesto, a canção é tema principal do terceiro álbum de Dylan, ou Robert Allen Zimmerman, seu verdadeiro nome.

No verso há um outro manuscrito, o de "North Country Blues".

Ambos falam de racismo, pobreza, compromisso político e mudanças sociais. A Sotheby’s informou em comunicado esperar entre 200.000 e 300.000 dólares com a venda.

Toni Garrido volta ao grupo Cidade Negra

cidade-negra_thumb

O cantor Toni Garrido volta ao posto de vocalista da banda Cidade Negra. Garrido, que deixou a banda em 2008 e lançou um álbum solo no ano seguinte, estará à frente da banda no início de 2011.

A informação da reunião do cantor com os antigos parceiros foi divulgada na coluna “Gente Boa”, do jornal O Globo, mas ainda não foi confirmada no site oficial da banda. Garrido esteve no posto de vocalista do Cidade Negra por 14 anos e lançou no ano passado o álbum “Todo Meu Canto”.
Enquanto Garrido trabalhava em sua carreira solo, o Cidade Negra se reformulou com o cantor Alexandre Massau e lançou o álbum “Que Assim Seja”, que chegou às lojas este ano.

 

Quinta, 02 de Dezembro

Pitty grava novo DVD ao vivo no Rio de Janeiro

pitty1_thumb

No próximo dia 18 de dezembro a cantora Pitty grava um novo DVD ao vivo, desta vez no palco do Circo Voador, no Rio de Janeiro.

O repertório final desse show ainda está sendo escolhido, mas a cantora já deu algumas pistas sobre o que o público vai escutar na apresentação: “mais ‘roots’, diferente do anterior, com uma pegada mais direta, inclusive privilegiando lados B dos dois discos anteriores”, explica Pitty.

Confira as informações do show:
18/12/2010 – Rio de Janeiro/RJ
Circo Voador – Rua dos Arcos, s/n
Horário: 20h00
Classificação etária: 16 anos (12 a 15 anos somente acompanhados dos pais).
Ingressos: R$ 50,00
Informações:
www.circovoador.com.br

Por motivos de saúde, ex-Bee Gees Robin Gibb adia shows para 2011

robin-gibb_thumb

O cantor Robin Gibb, dos Bee Gees, durante apresentação no German Opera Ball, no Alte Oper, em Frankfurt (28/02/2009)

O show que Robin Gibb iria fazer em Porto Alegre no próximo dia 10 foi adiado por motivos de saúde. Segundo a Opinião Produtora, responsável pelo show do ex-Bee Gees no Pepsi on Stage, a apresentação foi transferida para o dia 7 de abril. O músico foi submetido a uma cirurgia emergencial no pâncreas nesta quarta-feira (1º), "o que o impede de realizar todas as apresentações agendadas no Brasil", diz em comunicado.

Ainda não há informações sobre apresentação de Gibb em São Paulo, marcada para o dia 6 no Via Funchal. Irmão gêmeo de Maurice Gibb, morto em 2003, Robin vem ao Brasil com os sucessos de sua banda no show "Bee Gees – The Greatest Hits by Robin Gibb".

O Bee Gees foi uma das bandas de mais sucesso na década de 1970, ganhando nove prêmios Grammy.

Leoni lança CD e DVD com músicas inéditas e sucessos

leoni_thumb

Leoni é o tipo de artista cuja obra é mais conhecida do que ele próprio. No caso, algumas músicas que ele compôs.

Quando anda na rua, poucos o reconhecem. De chapéu e óculos escuros, então, é praticamente impossível dizer que ali está o compositor de sucessos que embalaram corações apaixonados como "Garotos II", "Por que Não Eu?", "Fórmula do Amor", "Educação Sentimental" e "Exagerado" (em parceria com Cazuza).

Pois foi essa indumentária, chapéu e óculos escuros, que Leoni escolheu para usar durante A Noite Perfeita, show feito em junho deste ano, no Circo Voador, no Rio de Janeiro, que agora é lançado em CD e DVD pelo Canal Brasil. E para essa noite ser realmente perfeita, Leoni escolheu tocar seus principais sucessos, além de 14 composições inéditas, escolhidas em parceria com os fãs por meio de votação em seu site.

Estão no set desde aqueles sucessos do início da década de 80, quando ainda fazia parte do Kid Abelha, passando pelo período em que formou a banda Heróis da Resistência e, finalmente, com os sucessos de sua carreira solo. No álbum, estão músicas como "Por que Não Eu" e "Fórmula do Amor", feitos em parceria com George Israel, no Kid Abelha. Já do Heróis, ele regravou "Dublê de Corpo".

 

Sexta, 03 de Dezembro

Ozzy Osbourne no Brasil: ingressos à venda para show em Brasília

ozzy-osbourne_thumb

Começou ontem, a venda de ingressos para o show de Ozzy Osbourne em Brasília. O show do vocalista na capital federal será realizado no dia 05 de abril de 2011 no Ginásio Nilson Nelson.

A nova visita de Ozzy Osbourne ao Brasil faz parte da turnê de divulgação do álbum “Scream”, lançado este ano. Esta será a quarta vez que o ex-vocalista do Black Sabbath se apresentará em território nacional. Além desse shows em Brasília o cantor tem outros quatro shows agendados pelo país.

As outras apresentações serão realizadas em Porto Alegre (30/03), São Paulo (02/04), Rio de Janeiro (07/04) e Belo Horizonte (09/04).

Confira as informações sobre a venda de ingressos para o show de Brasília:

05/04/2011 – Brasília/DF
Ginásio de Esportes Nilson Nelson – Asa Norte, Setor SRPN
Horário: 21h30
Classificação etária: Não será permitida a entrada de menores de 12 anos; 12 anos a 15 anos: permitida a entrada (acompanhados dos pais ou responsáveis legais); a partir de 16 anos: permitida a entrada (desacompanhados).
Ingressos: R$ 300,00 (pista / cadeira), R$ 500,00 (pista premium 1° lote), R$ 600,00 (pista premium 2° lote) e R$ 240,00 (arquibancada).
Postos de vendas sem taxa de conveniência: Brasília Shopping – SCN Qd 05 BL. A / Loja Free Corner Concept – CLS 304 Bloco A Loja 04 – Asa Sul
Vendas pelo telefone e internet: 4003-0848 (válido para todo o país) –
www.ticketsforfun.com.br

Mallu Magalhães lança música em francês

mallu-magalhaes_creditos-rafael-ken_thumb

A cantora Mallu Magalhães publicou em seu perfil no Facebook uma nova música, intitulada “Sur Mon Coeur”. A canção, com letra em francês, ganhou um vídeo feito pela própria cantora.

Também no Facebook, Mallu Magalhães confirmou que “Sur Mon Coeur” estaria no repertório do show desta sexta (03/12), no SESC Pompeia, em São Paulo. Os ingressos custam R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) e R$ 5 (comerciários).

‘Muita gente nem sabe quem sou’, diz Bebel Gilberto

Por Flávia Salme para iG

bebel_gilberto_2_thumb

De sandália rasteira e calça jeans dobrada na altura da canela estilo “pescador”, Bebel Gilberto acerta detalhes do ensaio derradeiro para o último show da turnê de “All in one”. O CD, lançado há cerca de um ano, acaba de colocar a cantora na disputa pelo Grammy, o maior prêmio da música mundial, pelo melhor disco contemporâneo de world music.
Apesar do título, e de boa parte do repertório, em inglês, Bel – como é chamada pelos amigos – quer ser artista popular. “Esta é a segunda vez que toco na Lapa e isso é tão essencial quanto tocar no Sesc Pompeia (SP)”, diz. “É a oportunidade de me apresentar para muita gente que nem sabe quem eu sou”, afirma a filha de João Gilberto e Miúcha, que já vendeu mais de 2,5 milhões de cópias no exterior.
Nascida e radicada em Nova York, Bebel acumula 18 anos de juventude dourada nas areias de Ipanema. O encerramento das apresentações na Lapa carioca, nesta quinta-feira (2), no Circo Voador, parece ser especial: “Há um aperto no coração quando toco no Rio”. Há três anos Bebel não se apresentava por aqui.
Parceira de “Eu preciso dizer que te amo”, com Cazuza e Dé, e ovacionada por dar um banho de música eletrônica na Bossa Nova – gênero do qual seu pai foi um dos fundadores –, Bebel Gilberto foge de rótulos. “Tenho mais é que evitá-los. Pop eu sempre vou ser”, afirma. “Eu já estou numa fase da vida em que toco Bebel’s Music”, ri.

“Tambores sempre altos”
No estúdio Floresta, no Cosme Velho, músicos que acompanham a cantora há uma década mostram que o repertório está maduro. Mais constante no grupo, o japonês Masa Shimizu ensaia sentado, alternando acordes de violão e baixo. Bebel, mais agitada, age como se estivesse no show. Saca o microfone do pedestal, cumprimenta o “público”, levanta as mãos, sacode os braços. Dança quase o tempo todo. Seus quadris seguem o compasso do paraense Magrus Borges. “Tambores amazônicos sempre altos”, ela pede ao baterista (e percussionista).
Além de composições autorais como “Canção de Amor”, “Port Antonio” e Dahling, parceria com Padro Baby, que fará participação especial no show no Circo, há, pela primeira vez, uma regravação de seu pai. “O repertório é sentimental, mas cantar Bim Bom é fichinha perto da emoção de me apresentar no Brasil”, ela diz.
Durante último ensaio, Bebel Gilberto abriu as portas do estúdio para o iG.

Confira parte da entrevista:

iG: Esse show encerra a turnê de “All in one”, que teve apresentações nos Estados Unidos, na Europa e na Asia. Mas você optou por encerrar os trabalhos no Rio de Janeiro. Qual a expectativa?
Bebel Gilberto: Rio de Janeiro e Lapa são lugares que fazem parte da minha vida. No caso do Circo Voador, eu participei da montagem dele, o que faz com que eu me envolva de uma forma única. Quando o Circo saiu do Arpoador e foi para a Lapa, eu já não tinha mais tanto envolvimento. Mas ao mesmo tempo eu sempre quis levar minha música para lá. E, no caso da Lapa, poder popularizar a minha música. Não quero que ela fique elitizada, quero que ela seja acessível. É isso que estou fazendo agora.
iG: Pela primeira vez você gravou uma composição do seu pai. Há uma relação sentimental com este repertório, que também traz Carmem Miranda e Bob Marley?
Bebel Gilberto: Sempre tem. Mas o que mexe mesmo comigo neste momento é tocar no Rio, reencontrar meus amigos. Estar no Brasil já dá um aperto no meu coração.

iG: Você aposta em alguma música específica para mexer com o público?

Bebel Gilberto: “Acabou Chorare” vai ser bem legal, ficou bem bonito.

iG: Participações especiais e surpresas, você pode adiantar alguma?
Bebel Gilberto: O Otto é meu convidado especial. E também a Orquestra Voadora. Fiz um show fechado recentemente, organizado pela Toulon, e eles estavam lá. Dei uma “roubada” na ideia e a gente vai repetir essa oportunidade para quem não viu.

iG: Esse show encerra uma turnê de um ano. E depois, o que você vai fazer?

Bebel Gilberto: Férias no Rio e na Bahia. Em janeiro volto para Nova York, e começo a cuidar do meu novo CD e do DVD. Quero fazer um acústico. O (ator) Guilherme Leme vai me ajudar na concepção e direção do DVD.
iG: Para quem é apontada como a grande intérprete da bossa eletrônica, fazer um CD acústico deve ser um desafio. O repertório já foi escolhido?
Bebel Gilberto: Vai ser uma mudança radical para dar um gostinho. É cedo para falar na escolha das músicas. Eu falo, e não acontece, fico com a cara no chão. Mas o Otto deve participar. Vai ter muita coisa boa.

iG: Você vai dividir suas férias entre o Rio, onde você cresceu, e a Bahia, onde seu pai nasceu. A Bebel de Nova York tem saudades da Bebel brasileira?

Bebel Gilberto: Pois é, tenho família lá na Bahia e uma relação muito intensa com tudo de lá. E aqui no Rio tenho os mesmos amigos há 25 anos. Embora eu seja uma pessoa comedida, adoro tomar um chope com eles no Leblon.

Confira a lista dos indicados à 53ª edição do Grammy Awards

grammys_thumb

Quem se deu muito bem foi o Eminem, com dez indicações. O estreante Bruno Mars vem logo em seguida. Confira todos os detalhes.

A boa fase na carreira do rapper Eminem deve continuar até o próximo ano, pelo menos se levarmos em conta as indicações que o cantor teve para a nova edição dos prêmios Grammy. Eminem lidera o número de indicações concorrendo em 10 categorias, entre elas álbum do ano (“Recovery”), gravação e canção do ano (“Love the Way You Lie”, com Rihanna).

No posto de segundo mais indicado não está Lady Gaga, Justin Bieber ou algum artista já bem conhecido do público. Quem ocupa a posição é o novato Bruno Mars, que concorre em sete categorias graças às suas colaborações com outros artistas como compositor e produtor, como no novo sucesso de Cee-Lo Green, “Fuck You” (gravação e canção do ano), e em “Nothin’ On You”, de B.o.B. (gravação do ano).

Dividindo a terceira posição estão Jay-Z, Lady Gaga e Lady Antebellum, concorrendo efetivamente por seus próprios trabalhos em seis categorias. Os artistas brasileiros que aparecem na lista são Bebel Gilberto e Sergio Mendes, que concorrem na categoria World Music com os discos “All in One” e “Bom Tempo”, respectivamente.
O anúncio dos concorrentes foi realizado na noite desta quarta-feira, 1ºno Club Nokia, em Los Angeles. A cerimônia contou com apresentações musicais de Bruno Mars, Katy Perry, Justin Bieber, B.o.B., Miranda Lambert e Train.

A cerimônia de entrega dos troféus será realizada no dia 13 de fevereiro de 2011, em Los Angeles. Confira alguns dos indicados:

Álbum do ano
Arcade Fire – ‘The Suburbs’
Eminem – ‘Recovery’
Lady Antebellum – ‘Need You Now’
Lady Gaga – ‘The Fame Monster’
Katy Perry – ‘Teenage Dream’

Gravação do ano
B.o.B (featuring Bruno Mars) – ‘Nothin’ on You’
Eminem (featuring Rihanna) – ‘Love the Way You Lie’
Cee Lo Green – ‘F*ck You’
Jay-Z and Alicia Keys – ‘Empire State of Mind’
Lady Antebellum – ‘Need You Now’

Artista revelação
Justin Bieber
Drake
Florence & the Machine
Mumford & Sons
Esperanza Spalding

Canção do ano
Ray LaMontagne – ‘Beg Steal or Borrow’
Cee Lo Green – ‘F*ck You’
Miranda Lambert – ‘The House That Built Me’
Eminem (featuring Rihanna) – ‘Love the Way You Lie’
Lady Antebellum – ‘Need You Now’

Melhor performance Pop de dupla ou grupo
Glee cast – ‘Don’t Stop Believin’ (Regionals Version)’
Maroon 5 – ‘Misery’
Paramore – ‘The Only Exception’
Sade – ‘Babyfather’
Train – ‘Hey, Soul Sister (Live)’

Melhor colaboração pop
B.o.B, Eminem and Hayley Williams – ‘Airplanes II’
Herbie Hancock, Pink, India.Arie, Seal, Konono No. 1, Jeff Beck and Oumou Sangare – ‘Imagine’
Elton John & Leon Russell – ‘If It Wasn’t For Bad’
Lady Gaga and Beyoncé – ‘Telephone’
Katy Perry and Snoop Dogg – ‘California Gurls’

Melhor gravação de Dance
Goldfrapp – ‘Rocket’
La Roux – ‘In For The Kill’
Lady Gaga – ‘Dance in the Dark’
Rihanna – ‘Only Girl (In the World)’
Robyn – ‘Dancing on My Own’

Melhor performance de Rock de dupla ou grupo
Arcade Fire – ‘Ready To Start’
Jeff Beck and Joss Stone – ‘I Put a Spell on You
The Black Keys – ‘Tighten Up’
Kings of Leon – ‘Radioactive’
Muse – ‘Resistance’

Melhor performance de Hard Rock
Alice in Chains – ‘A Looking in View
Ozzy Osbourne – ‘Let Me Hear You Scream
Soundgarden – ‘Black Rain
Stone Temple Pilots – ‘Between the Lines
Them Crooked Vultures – ‘New Fang

Melhor canção de Rock
Neil Young – ‘Angry World’
Mumford & Sons – ‘Little Lion Man’
Kings of Leon – ‘Radioactive’
Muse – ‘Resistance’
The Black Keys – ‘Tighten Up’

Melhor álbum de música alternativa
Arcade Fire – ‘The Suburbs’
Band of Horses – ‘Infinite Arms’
The Black Keys – ‘Brothers’
Broken Bells – ‘Broken Bells’
Vampire Weekend – ‘Contra’

Melhor performance de R&B de dupla ou grupo
Chris Brown and Tank – ‘Take My Time’
Chuck Brown, Jill Scott and Marcus Miller – ‘Love’
Ronald Isley and Aretha Franklin – ‘You’ve Got a Friend’
John Legend and the Roots – ‘Shine’
Sade – ‘Soldier of Love’

Melhor álbum contemporâneo de R&B
Chris Brown – ‘Graffiti’
R. Kelly – ‘Untitled’
Ryan Leslie – ‘Transition’
Janelle Monáe – The ArchAndroid’
Usher – ‘Raymond v. Raymond’

Melhor colaboração de Rap
B.o.B (featuring Bruno Mars) – ‘Nothin’ on You’
Chris Brown, Tyga and Kevin McCall – ‘Deuces’
Eminem and Rihanna – ‘Love the Way You Lie’
Jay-Z and Alicia Keys – ‘Empire State of Mind’
John Legend, the Roots, Melanie Fiona and Common – ‘Wake Up! Everybody

Melhor canção de Rap
Jay-Z and Alicia Keys – ‘Empire State of Mind’
Eminem and Rihanna – ‘Love the Way You Lie’
Eminem – ‘Not Afraid’
B.o.B (featuring Bruno Mars) – ‘Nothin’ on You’
Jay-Z and Swizz Beatz – ‘On to the Next One’

Melhor álbum de Rap
B.o.B – ‘The Adventures of Bobby Ray’
Drake – ‘Thank Me Later’
Eminem – ‘Recovery’
Jay-Z – ‘The Blueprint 3′
The Roots – ‘How I Got Over’

Melhor colaboração de Country
Dierks Bentley, Miranda Lambert and Jamey Johnson – ‘Bad Angel’
Dierks Bentley, Del McCoury and the Punch Brothers – ‘Pride (In the Name of Love)’
Zac Brown Band and Alan Jackson – ‘As She’s Walking Away’
Blake Shelton and Trace Adkins – ‘Hillbilly Bone’
Marty Stuart and Connie Smith – ‘I Run to You’

Melhor canção Country
George Strait – ‘The Breath You Take’
Zac Brown Band – ‘Free’
Miranda Lambert – ‘The House That Built Me’
Gretchen Wilson – ‘I’d Love To Be Your Last’
The Band Perry – I I Die Young’
Lady Antebellum – ‘Need You Now’

Melhor álbum Country
Dierks Bentley – ‘Up on the Ridge’
Zac Brown Band – ‘You Get What You Give’
Jamey Johnson – ‘The Guitar Song’
Lady Antebellum – ‘Need You Now’
Miranda Lambert – ‘Revolution’

Melhor álbum Americana
Rosanne Cash – ‘The List’
Los Lobos – ‘Tin Can Trust’
Willie Nelson – ‘Country Music’
Robert Plant – ‘Band of Joy’
Mavis Staples – ‘You Are Not Alone’

Melhor álbum de Blues tradicional
James Cotton – ‘Giant’
Cyndi Lauper – ‘Memphis Blues’
Charlie Musselwhite – ‘The Well’
Pinetop Perkins and Willie "Big Eyes" Smith – ‘Joined at the Hip’
Jimmie Vaughan – ‘Plays Blues, Ballads & Favorites’

FONTES: Grammy Awards, iG, A Tarde, Estadão, Dicionário Cravo Albin, Palco Mp3, Facebook, UOL e TDM.

Jogando por Música – 30/11/2010

Padrão

Motörhead é confirmado no Rock in Rio

rock in rio 2011

Banda tocará no Dia Metal, assim como nova-iorquinos do Coheed and Cambria

O Rock in Rio 2011 acaba de ganhar uma atração de peso, literalmente. Lendas do rock, os britânicos do Motörhead vão se apresentar no Dia Metal do festival, que acontece entre 23 de setembro e 02 de outubro. O grupo Coheed and Cambria, de Nova York, também integra a escalação, ao lado de Metallica, Sepultura e Angra – os brasileiros, no entanto, tocarão em um palco menor, o Sunset. A data é 25 de setembro, terceira noite do evento.

Liderado pelo carismático Lemmy Kilmister, o Motörhead tocou esse ano no Rock in Rio Lisboa, inaugurando sua presença na marca. A banda prepara o lançamento de seu 28º álbum, "The World is Yours", agendado para janeiro.

Cada dia do Rock in Rio privilegiará um ritmo diferente. O público já pode comprar no site oficial o Rock in Rio Card, espécie de voucher para aqueles que querem garantir seu lugar com antecedência. A troca por um ingresso será feita a partir do dia 11 de janeiro, antes da venda oficial. O primeiro lote custa R$ 190 (inteira) e R$ 95 (meia-entrada). Até o momento, 62 mil unidades foram vendidas.

Carlinhos Brown lança dois novos discos de samba e pop

Por MARCUS PRETO

carlinhos_003-1-1-640x398

Tal qual fez, em 2006, sua colega de Tribalistas Marisa Monte, o profuso Carlinhos Brown coloca na praça dois álbuns simultâneos –um deles, talhado sob preceitos da tradição do samba; outro, guiado pela excitação pop.

"Diminuto" e "Adobró" foram produzidos em apenas quatro meses. Suas 20 faixas, pinçadas de uma pré-seleção de 120 inéditas do compositor. Ele afirma que tem, no baú, mais de 500 prontas.

"Eu não escolho a música que passa por mim –ela me escolhe. Estou fazendo uma música pesada, saio para tomar água e volto com uma música suave", diz. "A gente tem dois ouvidos, é estéreo, não temos um sentimento só para colocar para fora."

Transitando também pelo pagode à Originais do Samba, "Diminuto" percorre a raiz de Candeia, Monsueto, Batatinha, Caymmi. Há parceria com os Tribalistas Marisa e Arnaldo Antunes e participação de Chico Buarque (lendo o texto "Suor Caseiro", do próprio Brown).

"Adobró" é a voz sincrética do percussionista que ele sempre foi, misturando linguagem iorubá, o nosso português e o de Angola –o que o compositor define como "uma saudade das festas de infância, que eram trilingues, eram as minhas raves".

Há inglês também. Muito. Como sempre, vem costurado aos outros idiomas pelo fio sonoro, sensorial.

Na faixa "Tantinho", por exemplo, tudo se mistura. Intercalado entre versos em português, o refrão cola iorubá e inglês: "Decundé Odá/ Odara, Odara, Thiririri, Yara/ Oh, Oh Yeah!".

Essa maneira um tanto nonsense com que Brown constrói desde sempre suas letras já virou sua marca. A inconsciência, ele diz, comanda todo trabalho. "Escrevo como se tivesse tocando timbau. Percussão, não se pensa. Se pensar, esfria. Escrita também tem disso", diz.

Para ele, as palavras não precisam existir no dicionário para fazer sentido. "São imagens melódicas e rítmicas que acessam outras coisas no nosso pensamento. E trazem prazer. O acaso se encarrega, dentro da melodia, de que cada ouvinte encontre seus sentidos pessoais."

DIMINUTO e ADOBRÓ
ARTISTA Carlinhos Brown
LANÇAMENTO Candyall Music/Sony
QUANTO R$ 24,90 (cada disco)

U2 fará show em SP em 9 de abril de 2011

360milan2

Banda irlandesa retorna ao país para apresentação única; grupo Muse abre a noite

O U2 realizará uma apresentação no estádio do Morumbi, em São Paulo, no dia 9 de abril de 2011. A banda britânica Muse fará a abertura da noite.

O anúncio foi feito em conjunto pelas produtoras Live Nation (americana) e Time 4 Fun (brasileira). Segundo os produtores, a atual turnê do quarteto irlandês, a U2 360°, terá sido vista por mais de 4,5 milhões de fãs quando chegar ao Brasil.

A série de shows tem esse nome porque, no palco, há um sistema cilíndrico de vídeo interligando painéis em LED e uma estrutura de aço de cerca de 50 metros de altura. O palco possui pontes rotativas possibilitando visualização de praticamente todas as partes do estádio.

Os ingressos para o show começarão a ser vendidos por R$ 70 (cadeira superior amarela, com visão parcial do palco) – a pista custará R$180. Os setores mais caros (cadeiras superiores do estádio) custarão R$ 380.

A pré-venda para clientes dos cartões Citibank, incluindo os cartões Credicard e Diners, acontece nos dias 4 e 5 de dezembro deste ano. Para o público em geral, em 7 de dezembro. As entradas poderão ser compradas pelo telefone 4003-0806 (válido para todo o país) e pelo site www.ticketsforfun.com.br. Membros do site oficial do U2 poderão obter ingressos antes da pré-venda para clientes Citibank.

 

O nosso lançamento de hoje vem do Rio Grande do Norte

rejane luna

Ontem à noite, ‘fuçando’ pela net, encontrei esta potiguar, dona de um timbre doce e um sotaque original e sem maquiagem (o que achei bem legal). Escolhi a música “Sabe-se Lá” por ser a de trabalho, mas em sua página no Palco MP3 tem outras belas canções, que em breve apresentaremos aqui no JpM da Liberdade FM 99,7.

Rejane Luna iniciou sua carreira profissional em 1998. Em seu primeiro CD, intitulado “Rejane Luna”, gravou canções próprias, como “Sabe-se lá”, uma parceria sua com a poetisa portuguesa Rita Alves da Silva, que venceu o Prêmio Hangar de Música na categoria “Melhor música”.

Vencedora do Prêmio Hangar de Música, também na categoria de “Intérprete Revelação”, Rejane fez duas temporadas de shows em Portugal, quando recebeu destaque da imprensa portuguesa: “A cantora brasileira Rejane Luna cantou e encantou o público presente em Arcos de Valdevez de viola em riste” (jornal Correio da Manhã), “A lua, a voz e o violão” essa foi a chamada da matéria que encerra dizendo: “Rejane Luna está entre nós para uma série de espetáculos, onde a sua voz e o violão têm todo o protagonismo” (jornal Euronotícias).

A batida diferente do violão, o saxofone e a voz, fazem de Rejane uma artista completa, que se agiganta no palco e vem se firmado em shows como o Lonas Culturais (RJ), Projeto seis e meia (RN), Fórum Cultural Mundial (SP), Circuito Cultural BB (PE), abrindo o show de grandes nomes como: Geraldo Azevedo, Zé Ramalho, João Bosco, Guilherme Arantes e Emílio Santhiago, sempre ovacionada pelo público.

Rejane Luna é o lançamento do JpM de hoje

Seu cd está a venda em todo o país, nas Livrarias Saraiva e Cultura.

Vale a pena coferir!!!

Para ouvir mais de Rejane Luna, acesse a sua página no Palco Mp3 clicando AQUI.

 

Bebel Gilberto empresta a voz para audiolivro e animação

bebel gilberto

A cantora Bebel Gilberto posa para foto de divulgação do disco "Momento"

Bebel Gilberto é conhecida por interpretar canções de jazz e bossa nova, mas agora a cantora usa a voz de outras maneiras.
Bebel recentemente narrou um audiolivro infantil e deu voz a uma personagem de desenho animado.
"Este foi o ano da locução", disse a cantora em entrevista à AP.
A cantora de 44 anos é um dos nomes cujas vozes participam do livro "Swing Cafe", lançado em setembro. Escrito por Carl Norac, o livro conta a história de zack, uma cigarra brasileira que sonha em cantar em Nova York.
"Quando fui convidada…eu disse sim imediatamente", disse Bebel Gilberto, que narra a história com o ator canadense David Francis. O livro inclui gravações clássicas de nomes do jazz, como Ella Fitzgerald, Duke Ellington, Cab Calloway, Fats Waller e Lionel Hampton.
"Todo o processo foi muito, muito agradável", afirmou a filha de João Gilberto e Miucha.
Foi depois de participar do livro que Bebel foi convidada a participar da animação "Rio", dirigida por Carlos Saldanha.
"Rio" é sobre o Rio de Janeiro e sua população, mas também sobre dois pássaros que voam para a cidade brasileira para conhece-la.
"Eu faço a voz de um tucano", disse Bebel Gilberto. "Foi maravilhoso." Apesar de não ter assistido ao filme terminado, a cantora declarou que as cenas que viu a deixaram com a impressão de que os realizadores retrataram o Rio de Janeiro "muito bem, ficou lindo."
O disco mais recente de Bebel Gilberto é "All in One", de 2009.

 

Bem, por hoje é só, amanhã temos encontro marcado as 09h00 pela Liberdade FM 99,7 e aqui em nosso ‘bloguinho’, claro!

FONTES: Palco MP3, iG, Folha de São Paulo, UOL, Facebook e Myspace.